O Custo do medo – o efeito da violência nas micro e pequenas empresas

Resumen

Informações do SEBRAE dão conta que em 2021, as micro e pequenas empresas foram responsáveis por 27% do PIB, 52% dos empregos registrados e 40% dos salários pago. Somam 8,9 empresas nestas condições. De outro lado a violência se tornou um grande problema de saúde pública no Brasil. O objetivo dessa pesquisa é demonstrar o efeito da violência nas micro e pequenas empresas da cidade de Ipatinga – MG. A compreensão de como a violência é percebida pelas ciências sociais é de suma importância para a relação medo e empreendedorismo.  Embora não seja o foco do presente artigo, entende-se que não é possível ir à diante sem o entendimento de como o efeito da violência em seus múltiplos aspectos afetam a sociedade como um todo. No que tange ao micro e pequeno empresário, o mesmo pode encerrar atividade além dos efeitos psicológicos. Para essa pesquisa foi utilizada um levantamento bibliográfico, seguida de pesquisa qualitativa e quantitativa. Utilizou-se aplicação de questionário e entrevistas das vitimas da violência (empresas assaltadas) e relatórios policiais, reportagens, relatório e entrevistas com a Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Ipatinga (Aciapi).

Palabras clave: micro e pequena empresa, empreendedorismo, violência, medo, ipatinga

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

ABIKO, K., ORNSTEIN, W. 2002, Coletânea HABITARE FINEP – Ginanciadora de Estudos e Projetos

ALMEIDA, A. W. B., 1988. Conflitos sociais no campo e cidadania. In: Em julgamento a Violência no Campo (E. Tajardo, org.), pp. 132-147, Rio de Janeiro: Fase.

ARAUJO Jr., A. F.; Fajnzylber, P. O que causa a criminalidade violenta no Brasil? Uma análise a partir do modelo econômico do crime: 1981 a 1996. Discussion paper 162 - Universidade Federal de Minas Gerais, 2001. p. 88

ARCARO, D. A.; OLIVEIRA, C. A. Efeitos de dissuasão do mercado de trabalho sobre o crime na região metropolitana de Porto Alegre. Economic Analysis of Law Review, v. 7, n. 2, p. 577-597, 2016.

CAMINHAS, Diogo Alves. FILHO, Claudio Chaves Beato (2020). ‘Todo ladrão vai trabalhar com a sua mente’: O uso da força e de armas nos assaltos em Belo Horizonte, Minas Gerais. Dilemas, Rev. Estud. Conflito Controle Soc. – Rio de Janeiro – Vol. 13 – no 3 – SET-DEZ 2020 – pp. 645-667

BECKER, Bertha K. e EGLER, Cláudio A. G. Brasil: uma nova potência regional na economia-mundo. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1998.

BRASIL. Decreto-Lei 2.848, de 07 de dezembro de 1940. Código Penal. Diário Oficial da União,. Rio de Janeiro, 31 dez. 1940.

CARPENA, F., COLE, S., SHAPIRO, J., & ZIA, B. (2015). The ABCs of Financial Education: Experimental Evidence on Attitudes, Behavior and Cognitive Biases (Policy Research Working Paper No. 7413). Washington, DC: Banco Mundial.

DIÁRIO DO AÇO, Jornal. Vale do Aço 2000: Um século de história. Ipatinga - MG, 1999. 6 - 26 p.

ESPINHA, P. G.; MACHADO, H. P. V. Reflexões sobre as dimensões do fracasso e mortalidade de pequenas empresas. Guarapuava, 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 Ago. 2020.

EXAME (2010), Usiminas cancela projeto de construção de nova usina em MG. Disponível em https://exame.com/negocios/usiminas-cancela-projeto-de-construcao-de-nova-usina-em-mg/ acessado em 20/10/2021

FREITAS, M. Não foi por acaso: a história dos trabalhadores que construíram a Usiminas e morreram no Massacre de Ipatinga. São Paulo. Editora Comunicação de Fato, 2008.

G1. NEV-USP. FBSP. Monitor de Violência. Disponível em: <http://especiais.g1.globo.com/monitor-da-violencia/2018/mortes-violentas-no-brasil>. Obtido em: 23/11/2020

G1. Ipatinga ocupa o 4º lugar no registro de crimes violentos. Disponível em: <http://g1.globo.com/mg/vales-mg/noticia/2013/06/ipatinga-ocupa-4-lugar-no-registro-de-crimes-violentos-em-minas-gerais.html> Obtido em: 23/11/2020.

GARCIA, D., & Viecili, J. (2018). As consequências do assalto para o trabalhador do comércio vitimizado [The consequences of robbery for victimized workplace employees]. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, 18(2), 396–402.

GEORGE, Pierre. Geografia econômica. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1991.

Governo Federal do Brasil. Empresa Simples de Crédito pode injetar R$ 20 bilhões por ano nos pequenos negócios. Brasil.gov.br . Recuperado em 24 de abril de 2019, em http://www.brasil.gov.br/noticias/economia-e-financas/2019/04/empresa-simples-de-credito-pode-injetar-r-20-bilhoes-por-no-nos-pequenos-negocios

GOLEMAN, D. (1995). Emotional intelligence. New York: Bantam Books.

HARRIES, K. Mapping crime: Principle e practice. Washington: CRMC 1999.

IETS. Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade. (2012). Pesquisa sobre Microempreendedorismo em Domicílios nas Favelas com Unidades de Polícia Pacificadora . Rio de Janeiro.

JUSTUS, M. J.; KASSOUF, A. L. Estudos econômicos das causas da criminalidade no Brasil: evidências e controvérsias. Revista Economia, v. 9, n. 2, 2008b

MINAYO, M. C. S. & SOUZA, E. R., 1993. Violência para todos. Cadernos de Saúde Pública, 9: 65-78.

MINAYO, M. C. S., 1990. Bibliografia Comentada da Produção Científica Brasileira sobre Violência e Saúde. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública. (Série Panorama, 2)

PORTALDOAÇO. Número de Microempreendedores individuais cresce em Ipatinga. Disponível em: <https://www.diariodoaco.com.br/noticia/0075508-numero-de-microempreendedores-individuais-cresce-em-ipatinga>. Obtido em: 06/11/2020

REDE INTER TV. Moradores de loteamento em Ipatinga vivem sem infraestrutura básica. Jornal MG TV, 1ª edição de 31 mar. 2010. Disponível em: < http://g1.globo.com/mg/vales-mg/mgintertv-1edicao/videos/v/calendario-moradores-reclamam-de-infraestrutura-no-bairro-vila-formosa-em-ipatinga/7724251/>. Acesso em: 06 nov. 2020.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, M. D. P. B.. Metodologia de pesquisa. 5 ed. Dados eletrônicos - Porto Alegre: Penso, 2013

SCHUMPETER, J. A. (1949). Economic theory and entrepreneurial history. Change and the entrepreneur. Reprinted in Schumpeter: essays on entrepreneurs, innovations, business cycles and capitalism (edited by Clemence, R.V.). New Brunswick: Transaction Publishers, 1989.

SEBRAE. Perfil do Microempreendedor Individual: 2016 . Brasília. Disponível em: <https://m.sebrae.com.br/Sebrae/Portal Sebrae/Anexos/PerfildoMEI2015.pdf>. Obtido em: 04/11/2020

__________. Educação Financeira do MEI: Maio 2018 . Disponível em: <http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/fe6869d6dee6e276445bab70b4af687c/$File/9939.pdf> Obtido em: 04/11/2020

SEBRAE. (2016). Perfil do Microempreendedor Individual: 2015 . Brasília. Recuperado em https://m.sebrae.com.br/Sebrae/PortalSebrae/ Anexos/Perfil do MEI 2015.pdf

SEDS. Secretaria de Estado de Defesa Social. Disponível em: <http://www.seguranca.mg.gov.br/ajuda/page/58-secretaria-58>. Obtido em: 23/11/2020

SOARES, R.R. Desenvolvimento, crime e punição: explicando as diferenças internacionais nas taxas de criminalidade. Journal of Development Economics, Chicago, v. 73, pp. 155-184, 2004

YONEMOTO, H. W. Os fatores externos e internos e a sua relação com o sucesso ou fracasso das empresas de pequena dimensão. Florianópolis, 1998. Disponível em: . Acesso em: 29 Jul. 2010.

Publicado
2022-08-02
Cómo citar
de Jesus Santos , A. M. (2022). O Custo do medo – o efeito da violência nas micro e pequenas empresas. Ciencia Latina Revista Científica Multidisciplinar, 6(4), 1044-1085. https://doi.org/10.37811/cl_rcm.v6i4.2644
Sección
Artículos