Neuromarketing e sua aplicação como meio de otimizar e melhorar os negócios

  • Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues
  • Flávio Sanches

Resumen

Técnicas de neuroimagem enriqueceram o campo da pesquisa do cérebro e adicionaram novos e extensos conhecimentos sobre transtornos de personalidade. Assim como suas manifestações clínicas, os transtornos de personalidade geralmente apresentam sobreposições em algumas regiões e compartilham estruturas e funções cerebrais anormais. Para entender o negócio, a abordagem necessária está relacionada ao empreendedorismo, que é um ramo diretamente relacionado à inovação, pois somente através da inovação é possível garantir a prosperidade do negócio. Logo, faz-se necessário a abordagem de técnicas de otimização de negócios, dentre elas, o objeto da presente pesquisa é a utilização do neuromarketing, isto é, através da abordagem do estudo de comportamento do consumidor a partir das lógicas de consumo, entendendo os desejos, impulsos e motivações que levam os indivíduos a optarem por consumir ou adquirir algum produto ou serviço. Outrossim, a neurociência tem um objetivo de compreender o cérebro humano, tendo como uma de suas principais características, o avanço tecnológico em imagem ou neuroimagem, os quais permitem investigações mais profundas para restaurar o que se denomina como localizacionismo. O presente trabalho tem como objetivo, apresentar a aplicabilidade dos métodos envolvendo o neuromarketing, através da construção teórica e conceitual. Para a gestão de um negócio, são necessárias algumas características específicas e essenciais para um bom funcionamento, dentre elas, o bom conhecimento do perfil de cliente, isto é, do público-alvo – o processo de decisão de compra ocorre, em grande parte, no subconsciente do indivíduo. Dessa forma, perguntar diretamente se alguém gosta de um produto pode não gerar uma resposta absolutamente verdadeira. Em conclusão, a utilização desta, bem como das demais técnicas é necessária, tendo em vista que os conhecimentos específicos pré-determinados através de neuromarketing possibilitam a otimização de processos e alavancamento de vendas melhor direcionados, encurtando resultados pré-determinados. Destarte, o presente estudo contribuiu na construção de referencial teórico sobre neurociência, estrutura organizacional e inovação.

Palabras clave: Neuromarketing, Neurociência, Neurônios de Contexto, Empreendedorismo e Inovação

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

ALMEIDA, C. F. C. de; ARRUDA, D. M. de O. O neuromarketing e a neurociência do comportamento do consumidor: o futuro por meio da convergência de conhecimentos. Fortaleza: Ciências & Cognição, 2014. 19 v. (278-297).

ALMEIDA, F. C. de et al. Neuromarketing: Indo além do tradicional comportamento do consumidor. Fortaleza: Convibra, 2010.

BASTOS, M. P. R. Oliveira. Sociedade de Consumo e Neuromarketing. 2012. 71 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Psicologia, Universidade Católica Portuguesa, Braga, 2012.

BICKEL, Warren K. et al. Behavioral and neuroeconomics of drug addiction: Competing neural systems and temporal discounting processes. Drug and Alcohol Dependence. 2006.

BRAGA, N. P.; OLIVEIRA, R. M. Os cinco sentidos do Marketing: a importância dos estímulos multissensoriais para despertar a emoção e gerar inclusão social. XVIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, Bauru – São Paulo: 3 a 5 jul. 2013.

CAMARGO, P. Neuromarketing: decodificando a mente do consumidor. Porto Portugual: Ipam, 2009.

DOLABELA, Fernando. O segredo de Luisa. São Paulo: De Cultura. 2006.

MANCUSO, R C. Ação civil pública trabalhista. 5ª. ed., São Paulo, Ed. RT, 2002.

MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana a revolução digital. 5. ed. – São Paulo: Atlas, 2005.

OLIVEIRA, J. dos S. P. e. Estratégias do neuromarketing: uma análise múltipla de casos. 2014. Monografia (Especialização) - Curso de Especialização em Marketing Empresarial, Universidade Federal do Paraná, 2014.

PUREZZO, M. As Três mentes do Neuromarketing. Rio de Janeiro: Alta Books, 2015.

SCHUMPETER, Joseph. Can capitalism survive?,. European Journal of Sociology / Archives Européennes de Sociologie / Europäisches Archiv für Soziologie. Vol. 33, No. 2, The social construction of self-interest. 1952.

SOUSA, H. D. e; M.; C. do C. S. B. de. O estudo do neuromarketing como ferramenta de percepção da reação dos consumidores. tec.fatecam, americana, v. 3, n. 1, p.118-144, mar./set. 2015.

VIEIRA, E. de M.; SOUSA, J.E. F. de. A percepção dos profissionais de publicidade paraibanos sobre a utilização do neuromarketing como ferramenta para entender o comportamento do consumidor. Convibra, 2010.

WALTER, Henrik; et al. Motivating forces of human actions Neuroimaging reward and social interaction. Brain Research Bulletin. V 67, p. 368-381. Jul. 2005.

ZALTMAN, Gerald. Afinal, o que os clientes querem. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

Publicado
2022-11-29
Cómo citar
de Abreu Agrela Rodrigues, F., & Sanches, F. (2022). Neuromarketing e sua aplicação como meio de otimizar e melhorar os negócios. Ciencia Latina Revista Científica Multidisciplinar, 6(6), 1814-1828. https://doi.org/10.37811/cl_rcm.v6i6.3639
Sección
Artículos