As Influências Migratórias sobre a configuração Arquitetônia de Ji-Paraná/ro na Amazônia Brasileira

  • Laysa de Souza Maia Aluna do Curso Técnico de Química integrado ao Ensino Médio Do Instituto Federal de Rondônia – IFRO, campus Ji-Paraná/RO.
  • Micaela Carissimi Ferreira Aluna do Curso Técnico em Florestas integrado ao Ensino Médio Do Instituto Federal de Rondônia – IFRO, campus Ji-Paraná/RO.
  • Jania Maria de Paula Geógrafa. Professora do Instituto Federal de Rondônia – IFRO, Campus Ji-Paraná. Ji-Paraná, Rondônia - Brasil.

Resumen

O presente artigo discute um recorte dos resultados da pesquisa “A construção da paisagem geográfica de Ji-Paraná: das influências regionais à arquitetura moderna”. Teve por objetivo compreender a constituição do espaço construido de Ji-Paraná, a partir das influências culturais trazidas pelos diferentes grupos regionais que migraram para o município. Os resultados apontam para a formação de uma conformação arquitetônica multicultural, influenciada por diversos traços regionais, de acordo com as origens dos migrantes que formam a população da cidade. A pesquisa foi de natureza qualitativa iniciou com levantamento bibliográfico, aplicou técnicas de observação em campo, produção de registros fotográficos e aplicação de enquetes, considerando uma amostragem de 50 ji-paranaenses entrevistados. Parte dos resultados obtidos está expressa no presente texto e conclui sobre a importância da construção das territorialidades baseadas em modelos dos antigos territórios de origens dos migrantes.  Construir, estruturar ou colorir as residências nos mesmos padrões de suas regiões de origen é estabelecer laços de afetivadade entre o antigo e o atual local de moradia.

Palabras clave: Ji-Paraná, Influências migratórias, Territórios

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Citas

BACHELARD, G. A poética do espaço. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

BOURDIEU, P. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: EDUSP, 2007.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016.

CARVALHO, R.; CARRÉRA, M.; SURYA, L. Arquitetura vernacular no sertão de Itaparica-PE: experiência de registro como memória. Revista Noctua, número 1: p. 66-78, 2016. Disponível em: http://fundacaoparanabuc.org.br/arquivo/e6aa7_Leandro.pdf. Acesso em 21/09/2019.

DARDEL, E. O homem e a terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: Perspectiva, 2015.

DEMO, P. Metodologia científica: em ciências sociais. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1995.

DUARTE JUNIOR, R. Arquitetura colonial cearense: meio ambiente, projeto e memória. Revista CPC. São Paulo, n. 7, pp. 43-73, nov. 2008/abr. 2009. Disponível em:

https://www.revistas.usp.br › cpc › article › download. Acesso em 20/09/2019.

FERNANDES, A. T. Espaço social e suas representações. IV Colóquio Ibérico de Geografia. Cidade do Porto, 1992. Disponível em: ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/artigo6661.pdf. Acesso em 13/12/2019.

FERREIRA, A. B. H. Miniaurélio Século XX Escolar. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

FOETSCH, A. A. Paisagem cultural e identidade: os poloneses em Rio Claro do Sul, Mallet – PR. Curitiba: UFPR, 2006. (Dissertação de Mestrado). Disponível em: acervodigital.ufpr.br/.../Alcimara%20Ap%20Foetsch. Acesso em 28/12/2019.

FRANCO, M. V. A.; DANTAS, O. M. A. Pesquisa Exploratória: aplicando instrumentos de geração de dados – observação, questionários, entrevistas. XIII Congresso Nacional de Educação – EDUCARE. Curitiba, 2017. Disponível em: https://educere.pucpr.br/dados/2017/apresentacao.html. Acesso em, 04/02/2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HAESBAERT, Rogério. O Mito da Desterritorialização: Do “Fim dos Territórios” à Multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

IMAGUIRE JUNIOR, K. A Casa de Araucária: Arquitetura Paranista. Curitiba: UFPR, 1993.

MONTE-MOR, R. L. M. Espaço e planejamento urbano: considerações sobre o caso de Rondônia. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1980. (Tese de Doutoramento - pdf).

NEVES, A. A caminho de Ji-Paraná. Brasília: Gráfica e Editora Regional, 1985.

PAULA, J. M. Nossa Terra em Outras Terras: os descendentes de eslavos na Zona da Mata Rondoniense. Manaus: UFAM/PPGSCA, 2017 (Tese de Doutorado).

PAULA, J. M.; DOURADO, G. Depois das andanças, a terra: os pequenos proprietários rurais no entorno da Reserva Biológica do Jaru em Rondônia. In: PINHEIRO, Z.; BARBOSA, J.; SANTOS, A.M. (orgs.) Tradições inventadas. Porto Velho: Temática Editora, 2017.

PREFEITURA MUNICIPAL DE JI-PARANÁ. História. Disponível em: http://www.jiparana.ro.gov.br/. Acesso em 09/05/2019.

Recomendação de Paris de 1972. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfnder/arquivos/Recomendacao%20de%20Paris%201972.pdf>. Acesso em: 29/09/2019.

RIBEIRO, V. M. Construções sobre Palafitas: do inquérito à Arquitectura à Contemporaneidade. Laboratório de Cultura Arquitetônica e Contemporânea. Lisboa: ISCTE-IUL, 2011. (Dissertação de Mestrado). Disponível em: https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/8001. Acesso em, 29/07/2019.

RIEGL. A. Le culte moderne des monuments. Paris: Seuil, 1984.

SACK, R. D. Territorialidade Humana: sua teoria e história. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

ZANI. A. C. Arquitetura e madeira. Londrina/PR: EDUEL, 2013.

Publicado
2021-06-07
Cómo citar
de Souza Maia , L., Carissimi Ferreira, M., & de Paula, J. M. (2021). As Influências Migratórias sobre a configuração Arquitetônia de Ji-Paraná/ro na Amazônia Brasileira . Ciencia Latina Revista Científica Multidisciplinar, 5(3), 2828-2846. https://doi.org/10.37811/cl_rcm.v5i3.492
Sección
Artículos